A rede social de Mark Zuckerberg, maior do mundo, o Facebook, de alguns anos para cá tem se tornado uma grande aliada na divulgação de empresas e marcas. E isso se deve a diversos motivos, incluindo, é claro, a grande quantidade de usuários. No entanto, essa oportunidade tem gerando uma grande dependência do Facebook para a divulgação de algumas empresas, principalmente as pequenas. O que torna essa ideia menos atrativa do que parece.

O Facebook disponibiliza gratuitamente diversas ferramentas de divulgação da para empresas, diferentes daquelas oferecidas a usuários comuns. As páginas – destinadas especificamente para divulgação de empresas, marcas, pessoas públicas dentre outras – geram relatórios de alcance, engajamento e algumas outras métricas que auxiliam os empresários no controle de suas publicações. De uma forma simples, que é possível ser feita porque qualquer usuário da rede.

Recentemente o Facebook lançou uma atualização nessas páginas que aumentou ainda mais as possibilidades para as empresas. Ao incluir menus para inclusão de produtos, serviços e opções de gerenciamento desses, a página pode substituir facilmente um site da internet, no que diz respeito a informações sobre a empresa.

No entanto, tantas facilidades teria que ter uma contrapartida. Antes da atualização citada, o Facebook lançou uma atualização em seu feed de notícias. Essa afetou diretamente o alcance das publicações das páginas, principalmente com links externos. Páginas com conteúdo totalmente dentro do Facebook tem agora uma possibilidade de alcance maior que aquelas que apresentam links para outros sites. A ideia é incentivar as pessoas a permanecerem dentro do Facebook, como se ele fosse a própria internet. E, é claro, aumentar a receita com divulgação, uma vez que, reduzindo o alcance gratuito, as empresas teriam que pagar por isso.

E aí é que está o problema. Muitas empresas nasceram dentro do Facebook e dependem desse alcance gratuito. Outras investiram muito nisso, fazendo dessa rede seu principal canal de comunicação, abandonaram seus websites e agora, de uma hora para outra, precisam repensar seus investimentos em publicidade.

O fato é que, independente da publicidade ser gratuita ou não, essa dependência do Facebook não é saudável. Primeiro porque eles podem mudar seus termos a qualquer momento. Como diria Andrew Lewis, “se você não está pagando por um produto, é sinal que o produto é você”. Segundo porque, por incrível que pareça, existem outras outras opções, não tão fáceis de serem implementadas, mas que podem gerar resultados muito mais eficientes a um custo menor, como ter um site bem posicionado nos buscadores.

Um site pode atingir todos os usuários da internet, o que é muito mais que os usuários do Facebook e estar presente em todas as redes sociais através do compartilhamento do seu conteúdo. É importante estar presente nessas redes, o que é prejudicial é depender de uma única como solução para sua publicidade. Além do mais, um site pode ser divulgado no Google Ads, Bing e outros a um custo muito menor que os impulsionamentos do Facebook, com recursos de monitoramento, controle do orçamento e relatórios muito melhores.

Para que isso aconteça, é necessário um Planejamento de Marketing Digital, que integre diversas mídias extraindo de cada uma o que tem de melhor a oferecer para o seu negócio, sem grandes dependências e surpresas desagradáveis.