Você já parou para pensar que a nossa forma de se comunicar muda conforme o nosso ouvinte? Quando conversamos com uma criança, por exemplo, em geral somos mais carinhosos e pacientes. Muitos até usam uma voz mais fina, imitando os bebês, não é mesmo? Em uma reunião de trabalho usamos de linguagem mais formal e com os amigos, informal e por aí vai…Com os eleitores não deve ser diferente.

Ao iniciar seu planejamento de marketing para um pleito, você deve ter em mente quem são os seus eleitores. Justamente para saber a quem direcionar sua comunicação.

Mas você poderá pensar: “ah, mas eu vou falar para todos os eleitores da cidade!”. E não deixa de ser verdade, porém, alguns podem criar rejeição ao candidato apenas por não se identificar com sua maneira de se portar e de se comunicar. Por isso, é importante observar, antes de construir o seu discurso, pelo menos, quem é a maioria.

Como identificar os eleitores

O Tribunal Superior Eleitoral – TSE divulga, ao final de cada eleição, todas as estatísticas relacionadas tanto aos candidatos, quanto aos eleitores. É possível extrair desses dados muitas informações importantes para o planejamento de campanha, por região, estado ou município, como por exemplo:

  • Idade e sexo dos eleitores
  • Idade e sexo dos candidatos
  • Presença e ausência de eleitores
  • Partidos com mais candidatos eleitos
  • Outros.

Para ter acesso as informações dos eleitores basta acessar as Estatísticas do Eleitorado  e selecionar os filtros desejados. Veja abaixo o exemplo da cidade de Montes Claros – MG.

estatísticas dos eleitores

Fonte: TSE

Como mostra a imagem, a faixa etária com maior número de eleitores é a de 45 a 59 anos, somando um total de 63.125 pessoas. Claro que esse número não garante uma eleição majoritária, mas, é possível eleger vários vereadores se essa quantidade for convertida em votos. Ou seja, um candidato que foque sua comunicação para atrair pessoas de 45 a 59 anos terá um público muito maior que outro que prefira direcionar seu discurso aos jovens de 16 a 20 anos, por exemplo.

Você concorda que, dificilmente, um mesmo discurso agradará a jovens de até 20 anos e adultos de 45 a 59? Se sim, você entendeu a importância de conhecer seu eleitorado e saber como se comunicar com ele. Agora é só praticar!